Reciclar é preciso (e fácil)!

Confira o passo a passo de como fazer coleta seletiva em casa.

Muitos acreditam que o processo de reciclagem é complicado. Na realidade, é extremamente fácil e rápido – o que nos falta é um pouco mais de informação.

Não é difícil e muito menos inalcançável fazer a reciclagem em casa. Mesmo em locais onde a coleta seletiva não chega, os catadores, sempre salvadores da pátria, podem ajudar no processo!  Em maio de 2018, uma pesquisa feita pelo Ibope, divulgada pela Folha de S. Paulo, mostrou que somente 1 em cada 4 brasileiros separa o lixo doméstico corretamente e apenas 35% acredita ser fácil encontrar informações sobre como fazer a coleta seletiva em casa. Por isso, o post de hoje vai tentar ajudar você, que sempre quis reciclar, mas nunca tentou, a desmistificar qualquer ideia que envolva a dificuldade de reciclar. É fácil, prático e contribui demais para a redução do lixo. Confira abaixo o passo a passo e mais informações sobre quais materiais são ou não recicláveis:

 

1 - Separe seu lixo corretamente;

Nós costumamos acreditar que, para reciclar, é necessário separar o lixo como alguns recintos o fazem: plástico, metal, papel, cada um em um local diferente. Na verdade, é mais fácil do que isso. Para viabilizar a reciclagem do que você descarta, basta separar o que é reciclável do que não é. Em uma sacola, você coloca embalagens de papel, metais, plástico e vidro limpos – retire qualquer resíduo de dentro, passando uma água ou jogando o conteúdo na lixeira orgânica –, enquanto em uma outra sacola você deve descartar restos de comida, materiais orgânicos, papel higiênico, sujeira de limpar a casa. Alguns resíduos, como lâmpadas e pilhas, são considerados tóxicos e por esse motivo não podem ser descartados no lixo orgânico ou reciclável, deve ser encaminhado para um PEV.

*Importante: para não machucar quem está retirando e separando o seu lixo posteriormente, antes dele de fato ser reciclado, embale objetos cortantes em um jornal. Retire sempre as tampas de recipientes. Latinhas devem ser amassados ou prensados para facilitar o armazenamento.

 

2 - Descubra como a sua cidade recicla ou encontre você mesmo a sua maneira:

  • Coleta seletiva

São Paulo, por exemplo, possui a coleta seletiva de porta em porta. Geralmente, em cidades onde esse serviço é assegurado, os sites das prefeituras fornecem links nos quais você pode encontrar os horários de coleta na sua rua. É importante deixar o lixo separadinho em frente à sua casa pelo menos duas horas antes da passagem dos caminhões.

  • Pontos de Entrega Voluntário (PEV)

Além da coleta porta a porta, algumas prefeituras oferecem PEV's instalados em locais específicos para receber o material reciclável. Confira no site de seu município.

  • Associação de catadores

Há diversos grupos de catadores que podem recolher o seu lixo reciclável. Eles são extremamente organizados e possuem sites nos quais você pode entrar em contato com eles – uma sugestão ótima é o aplicativo Cataki. Nesse caso, será necessário acertar um valor com o catador ou catadora que for até sua casa recolher os resíduos – algo que pode ser feito informalmente, entre você e ele ou ela.

Importante: Lembre-se que, apesar de extremamente mal remunerados, são os catadores os maiores responsáveis pela reciclagem em nosso país, chegando a levar para as cooperativas – onde o material é, enfim, separado e encaminhado para reciclagem – quase 90% de todo lixo reciclado. Muitos sustentam famílias inteiras vendendo peças que valem, no máximo, 40 ou 60 centavos. Por isso, é de extrema importância sermos empáticos e que apoiemos um trabalho tão importante – mas tão marginalizado.

 

Viu como não é tão difícil assim? Agora, para tentar te ajudar um pouco mais, vamos listar quais materiais são ou não recicláveis.  Separamos uma lista do que pode ou não ser reciclado, baseando-se no livro "Uma vida sem lixo", da Cristal Muniz. Confira abaixo:


TUDO SEPARADINHO: COMO PREPARAR O LIXO PARA O DESTINO CERTO


RESÍDUOS SECOS


PAPEL
Reciclável: papel de caderno, de escritório, jornais, revistas e panfletos; embalagens; papel de seda; papel-toalha, higiênico e lenços de papel limpos; cartões e cartolinas; caixas de papelão; papel kraft, de desenho.
Não reciclável: papel-vegetal, celofane, carbono, papéis sujos ou engordurados, revestidos com cera, parafina ou silicone; fotografias, fitas e etiquetas adesivas; papel de extrato bancário.

METAL
Reciclável: alumínio (latas de bebidas, tampa de iogurte, papel-alumínio, sachês de café); folha-de-flandres, ou aço revestido com estanho (latas de óleo, sardinha, de conserva em geral); ferragens; fio de cobre; panela sem cabo plástico; arame.
Não reciclável: esponja de aço; lata de aerossol; lata de tinta ou de verniz.

PLÁSTICO
Reciclável: embalagens plásticas de todos os tipos (garrafas pet, xampu, detergente etc.); tampas plásticas de produtos; embalagens de ovos, frutas e legumes; utensílios plásticos como canetas, escovas de dente, copos, sacolas; isopor; embalagens plásticas metalizadas tipo de salgadinhos.
Não reciclável: plástico tipo celofane; acrílico; plásticos sujos.

VIDRO
Reciclável: garrafas de bebidas; potes em geral (molhos, produtos de limpeza, perfumes, remédios); embalagens quebradas.
Não reciclável: espelhos; vidros de carro ou janelas; lâmpadas; cristal; vidros temperados ou de utensílios domésticos.


RESÍDUOS ESPECIAIS

LÂMPADAS
Não podem ser descartadas no lixo reciclável nem no comum porque possuem gases tóxicos. Procure um PEV. Normalmente lojas que vendem este produto encaminham para um descarte adequado.

BATERIAS E PILHAS
Não podem ser descartadas no lixo reciclável nem no comum porque possuem metais pesados. Procure um PEV.

REMÉDIOS E DESCARTÁVEIS DE PROCEDIMENTOS DE SAÚDE
Esse tipo de lixo não pode ser colocado no lixo reciclável nem no comum porque possui contaminantes. No caso das embalagens de remédios, a recomendação é reciclar as caixinhas e bulas quando estas não entram em contato com o remédio. As embalagens que entram em contato, as consideradas primárias, devem ser descartadas em farmácias ou postos de saúde. No caso de agulhas, seringas e outros instrumentos usados por pessoas com doenças crônicas, é necessário ter uma caixinha de lixo infectante em casa e levar até um posto de saúde ou um hospital quando estiver cheia. Eles encaminharão para o destino adequado.

ELETRÔNICOS
Não podem ser descartados no lixo reciclável nem no comum porque possuem metais pesados. Procure um PEV.

TECIDOS
Não podem ser descartados no lixo reciclável nem no comum porque não são separados pela coleta seletiva. Como podem ser reciclados, você pode levar em um PEV. Veja no capítulo Guarda-roupa mais instruções para dar o destino adequado a roupas e tecidos.


RESÍDUOS ORGÂNICOS
Imagina que todo o seu lixo orgânico não precisa mais ir para o aterro sanitário. No lugar de uma lixeira para ele, você vai precisar de uma composteira, que transforma todo esse material em adubo!

[O termo correto para nomear este processo é “downcycling”]

REJEITOS
Como deu para ver, quase tudo pode ser reciclado ou reaproveitado (e não precisa ir parar no aterro sanitário). Mas há alguns resíduos que são rejeitos, cujo destino final precisa ser o aterro. Todos os itens não recicláveis entram nessa categoria, assim como fraldas descartáveis, absorventes femininos, embalagens de papel engorduradas, dejetos animais embrulhados em jornal etc. É esse tipo de lixo que a gente precisa começar a retirar da nossa casa e da nossa vida, já que ele não tem um ciclo de vida circular.

Agora que você já sabe todos os caminhos para começar ou continuar sua reciclagem em casa, conta pra gente como está sendo sua experiência!


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados